CONTAÇÃO

CONTAÇÃO
Espaço Infantil dos Trabalhos do Lucarocas

UM, DOIS, TRÊS, NO CORDEL ERA UMA VEZ
Especial Cultura e Infância – Contação de História

            Um, Dois, Três, no Cordel era Uma Vez é uma leitura contada a partir de três cordéis infantis que aguçam a imaginação das crianças enquanto que as instrui e diverte.
            A contação inicia-se com a tentativa de descoberta de como uma galinha põe um ovo quadrado. A narrativa performática do cordel O Mistério do Ovo Quadrado desperta o imaginário da criança para a descoberta de como será desvendado esse mistério.


        Contam que num certo dia
        No sítio do Vô João
        O Galo fez cantoria
        Na maior assombração
        Pois ficou muito assustado
        Por ver um ovo quadrado
        Nos ninhos lá do galpão.

            O segundo momento se dá pela magia contagiante de uma bruxinha que, apesar de esperta, tinha dificuldades para voar. A contação da história do cordel A Bruxinha que Não Podia Voar faz nas crianças um encantamento de admiração e leveza, pois elas se colocam no lugar da personagem e manifestam-se como pequenas fadas fazendo encantos para que a Bruxinha consiga voar.


         Demetra era uma bruxinha
         Que não sabia voar
         Vivia sempre sozinha
         Na floresta a meditar
         Por que daquele tamanho
         Ainda não tinha ganho
         Asas pra se libertar.

            O momento final da contação se dá por mais um mistério. Dessa vez a curiosidade é desperta para saber o que levaria um lenhador pedir para se encontrar com a morte. Nesse contexto, a morte é uma alegoria fantasiosa. O texto o Lenhador e a Morte leva a criança a imaginar como deverá ser um encontro de um velho lenhador que vive pedindo a morte. Um surpreendente final desmistifica a morte como coisa abominável, e leva às crianças às graças e risos por mais um mistério descoberto.


        Zé da Lenha lenhador
        Um cumpridor de missão
        Como bom trabalhador
        Devoto de São João
        Reclamava de sua sorte
        Pedindo sempre que a morte
        Viesse lhe dar a mão.

            A contação é feita através de três cordéis infantis do poeta Lucarocas, e traz uma proposta bastante interessante onde leva a criança ao exercício de escuta e, posteriormente, a uma vontade de fazer a leituras dos textos nos folhetos de cordel.


CONTAÇÕES DE HISTÓRIA EM ESCOLAS