Rádio Lucarocas Artes e Letras

10/08/16




GENTILIZA NÃO PÕE MESA
                     Autor: Lucarocas

Gentileza não põe mesa
É assim que alguém pensa
Mas se falta gentileza
Essa vida não compensa
Pois quem só pensa em dinheiro
Dele fica prisioneiro
Sem nenhuma recompensa.

O homem nem só de pão
Precisa para viver
É preciso a gratidão
Para se fortalecer
Pra que o bem material
Não se torne o ideal
Na alma de qualquer ser.

Quem convive com a paz
Tem na mesa o alimento
Pois a natureza faz
Tudo por merecimento
E quem só guarda rancor
Na boca traz o amargor
Da trava do sofrimento.

E se pela gentileza
Não há então quem se importe
Pensando só que a mesa
É quem vai lhe dá suporte
É bom então se lembrar
Que nada se vai levar
Na hora certa da morte.

                 Fortaleza, 17 de Agosto de 2016.


















RÁDIO WEB LUCAROCAS
A Rádio que toca o que toca você.

Contato:
poeta@lucarocas.com.br
(85) 98897-4497 (Oi - WhatsApp)
99666-9396 (tim)

11/04/16

HOMENAGEM AO POETA CHICO PEDROSA

 

POETA CHICO PEDROSA
Oitenta Anos de Idade, Sessenta de Poesia
                           Autor: Lucarocas

Quis o poder divinal
Que na sua criação
Deus colocasse a mão
Em um ser especial
E através do astral
Com muita luz e magia
Chico Pedrosa viria
Com tamanha divindade
Oitenta anos de idade
Sessenta de poesia.

O Chico amigo da arte
De história um contador
Um grande declamador
Verdadeiro baluarte
Com todo mundo reparte
Sua paz sua energia
Uma luz que alumia
Espalhando claridade
Oitenta anos de idade
Sessenta de poesia.

O vate Chico Pedrosa
Traz alegria na alma
Um tom de voz que acalma
Qualquer paixão dolorosa
Sua voz bem poderosa
Corta o ar com melodia
Sua palavra fatia
A dor de quem tem saudade
Oitenta anos de idade
Sessenta de poesia.

Os versos do mestre Chico
Tem a força do arado
De um cavalo no prado
Correndo e ficando arisco
Mas como a luz do corisco
Transforma a noite num dia
Palavra que desafia
Toda regularidade
Oitenta anos de idade
Sessenta de poesia.

Nos versos do menestrel
Tem gente de todo canto
Tem alegria tem pranto
Tem figura de bordel
Tem linha de carretel
Com a pipa em ventania
Tem calor que não esfria
Os amantes de verdade
Oitenta anos de idade
Sessenta de poesia.

Nos traços do seu poema
Chico e um rio a correr
Um caminho a percorrer
No mais diferente tema
Sua grandeza extrema
Traz seu verso em maestria
Em regular simetria
De uma grande humildade
Oitenta anos de idade
Sessenta de poesia.

Nos causos que o Chico conta
Tem coisas de arrepiar
Tem ilusão de sonhar
Tem personagem que apronta
Tem gente que fica tonta
Com o mundo de fantasia
Que o Pedrosa nos cria
Com toda a realidade
Oitenta anos de idade
Sessenta de poesia.

Nas trilhas do poemar
Chico trafega seguro
E trazendo um verso puro
Faz a gente se encantar
E com o seu recitar
Transforma dor em alegria
Tristeza e melancolia
Vira brisa em liberdade
Oitenta anos de idade
Sessenta de poesia.

Chico contador de história
Nos textos que ele faz
À nossa lembrança traz
Um registro de memória
E em sua trajetória
Algo novo sempre cria
Mostrando sua maestria
E grande capacidade
Oitenta anos de idade
Sessenta de poesia.

Quem ouve o Chico falar
Voa na imaginação
E sente no coração
Um diferente pulsar
Às vezes molha o olhar
Com a emoção que ele cria
Mas essa vira alegria
Numa transitividade
Oitenta anos de idade
Sessenta de poesia.

Nos livros que o Chico escreve
Tem prece tem oração
Tem cheiro bom da canção
Que faz a alma mais leve
Tem um cantar que se atreve
Com a sua melodia
Confortar melancolia
E toda uma soledade
Oitenta anos de idade
Sessenta de poesia.

No olhar do Chico Pedrosa
Tem brilho de inspiração
Luz que vem do coração
Beleza que vem da rosa
Uma fonte luminosa
Que da alma principia
Uma paz que irradia
O doce dom da verdade
Oitenta anos de idade
Sessenta de poesia.

Chico Pedrosa o poeta
De toda essência da vida
A sua história sofrida
Se confunde a de um profeta
Que pra cumprir sua meta
Faz de Jesus o seu guia
Numa luz que contagia
Com toda simplicidade
Oitenta anos de idade
Sessenta de poesia.

O tempo marcou na face
Do nosso grande poeta
Uma história completa
Sem maquiagem ou desface
E mesmo que o olhar embace
Na hora que principia
Ele termina seu dia
Na maior felicidade
Oitenta anos de idade
Sessenta de poesia.

O Chico nesse momento
Já completou os oitenta
De poesia sessenta
De muito aproveitamento
É certo que o esquecimento
Apareça qualquer dia
Pra lhe fazer companhia
Na sua oralidade
Oitenta anos de idade
Sessenta de poesia.


Aqui fica uma homenagem
Do poeta Lucarocas
Que com o Chico fez trocas
De diferente linguagem
E hoje à sua imagem
Diz os textos que ele cria
E com a sua alegria
Em plena felicidade
Oitenta anos de idade
Sessenta de poesia.


Fortaleza, 09 de Abril de 2016



07/03/16

Mulher Luz de Vida






MULHER, LUZ DE VIDA
                                                                                  Autor: Lucarocas

         A luz que brilha nos olhos de uma mulher traz sempre um lume de vida.
         Se em uma mulher há tristeza, o brilho do seu olhar transmite um lume de esperança. Se há dor, o brilho é de fé, se há alegria, o brilho é de júbilo.
         Se há desarmonia, no fundo do olhar de uma mulher encontra-se a paz.
         No brilho do olhar de uma mulher encontramos sempre um ponto de oração e um brilho de Deus.
Nos olhos de uma mulher encontramos a doçura da maternidade, do companheirismo e do amor.
É no olhar de uma mulher encontramos a sua força de luta, e a chama da vontade de vencer, de fazer um mundo ainda melhor.
         Hoje, quando o mundo é enegrecido pelas mazelas da vida, desejamos que todas as mulheres tragam em seus olhares um brilho de esperança, um lume de fé um jubiloso fulgor e um imenso clarão de paz para que a vida seja sempre uma benção sob os domínios de Deus.
         Pois, só quando essa luminosidade feminina contagiar toda a humanidade, é que seremos verdadeiramente felizes.

         Que a luz divina ilumine todas as mulheres neste dia e sempre.


......................
Para seus melhores momentos sintonize Rádio Web Lucarocas Artes e Letras "A Rádio que oca o que toca você!"

Para ouvi-la em seu computador acesse www.lucarocas.com.br
Para ouvi-la em seu celular ou tablete baixe o aplicativo RadiosNet e localize Lucarocas Artes e Letras

Grato pela audiência.


07/10/15

VOCÊ SEM MIM



    Este poema é dedicado a todas as mulheres que, de uma forma ou de outra, não merecem nenhum tipo de sofrimento.

  VOCÊ SEM MIM
                 Autor: Lucarocas

Hoje no meu pensamento
Eu fui então perceber
Que a partir do momento
Desse nosso conhecer
Você perdeu a alegria
E tudo o que contagia
O seu modo de viver.

Você foi entristecendo
Com minha aproximação
E eu então lhe querendo
Nessa nossa relação
Mas nas passadas da vida
Você bem entristecida
Foi entrando em depressão.

Antes de me conhecer
Sua vida era magia
Não conhecia o sofrer
Só plenitude e alegria
Agora só traz tristeza
No seu olhar tem frieza
De plena melancolia.

Depois da minha chegada
Ficou triste o seu olhar
Sua voz ficou calada
No horizonte a fitar
E o doce do seu sorriso
Não buscou o paraíso
Que tinha no seu sonhar.

Seu sonho não mais avança
Pra vida não tem mais gosto
E toda a sua esperança
Se transformou em desgosto
E a vida que ainda lhe resta
Lhe marca um sinal na testa
E lágrimas pelo seu rosto.

Não quero você tão triste
Nem sofrendo com esse drama
Eu sei que o amor existe
E o quanto você se ama
E eu quero que seja assim
Desejo você sem mim
Pois sou o Câncer de Mama.

Fortaleza, 07 de Outubro de 2015.

              LUCAROCAS
(85) 98897-4497 (oi – WatAspp)
           99666-9396 (tim)
      poeta@lucarocas.com.br
        www.lucarocas.com.br


01/10/15

Câncer, ABC da Prevenção


CÂNCER, O ABC DA PREVENÇÃO
                             Autor:  Lucarocas


No alfabeto dessa vida
Muito se tem que aprender
Para sarar a ferida
Do câncer que faz sofrer
É preciso educação
Usando toda  lição
Que contém nosso ABC.

Com a letra “A” do amor
Vamos tudo começar
Pois quem já supera a dor
Soletra  seu verbo amar
E não é de desistir
E sabe ser prevenir
Melhor que remediar.

Com “B” se grifa bondade
Benção de quem já cuidou
Da dor ou da enfermidade
Que o câncer já provocou
E mostrou ao paciente
Que toda dor dessa gente
Deus nunca que abandonou.

Com “C” se escreve carinho
Confiança e cuidado
Palavras que no caminho
Fazem o câncer curado
E mostram que prevenção
Com um pouco de atenção
É remédio abençoado.

Para poder prevenir
Sem ter que remediar
Não basta se resumir
No ABC soletrar
Precisa estudo completo
Das letras desse  alfabeto
Para esse câncer curar.

Câncer é grande doença
Que não dita sua sorte
Pois basta sua presença
Para abalar o mais forte
E quem não faz prevenção
Termina na procissão
Dos que caminham pra morte.

Para não entrar na fila
Desse verme matador
Onde ao homem aniquila
Com toda agudez da dor
É preciso o ser vivente
Antes de ser paciente
Ser um auto protetor.

E para se proteger
É bastante se cuidar
O seu corpo conhecer
No ato de se tocar
E descobrir a medida
Que é bem mais garantida
Para se examinar.

Para a boca prevenir
Se faz exame bucal
É bastante a boca abrir
De modo bem natural
E diante do espelho
Buscar um sinal vermelho
Que possa lhe causar mal.

Procure verificar
Se a pele mudou de cor
Se tem dentes pra tratar
Ou feridas com ardor,
Procure áreas dormentes
Se estão quebrados os dentes
Ou inchações causam dor.

Faça você esse exame
Não seja tão comodista
Não deixe a doença infame
Ser uma dor que lhe vista
E se notar um sinal
Que lhe possa causar mal,
Procure um especialista.

Para que o câncer do colo
Na mulher seja evitado
Não carece protocolo
Bastante ela ter cuidado
Fazendo sua higiene
Sem que seu corpo envenene
Com sexo não planejado.

Quando a mulher inicia
Sua vida sexual
No seu corpo então se cria
Um prazer bem natural
Mas pra sua proteção
É preciso prevenção
Com exame vaginal.

Esse exame é indolor
E todas devem fazer
Procure pois o “doutor”
Para ele lhe fornecer
Toda e melhor instrução
E mostrar que  prevenção
Ajuda melhor viver.

E volte a se consultar
Depois do exame fazer
Para o “doutor” informar
Como deve proceder
Se tiver tudo normal
Você se livrou do mal
Que faz o corpo sofrer.

Toda mulher que se ama
Seu corpo tende a cuidar
Fazendo o exame da mama
Para o câncer evitar
No ato da prevenção
Depois da menstruação
Começa a se examinar.

Com carinho e com estilo
Olhando sempre no meio
Ou a redor do mamilo
Segue apalpando o seio
Vai buscando alterações
Feridas ou retrações
Sentidas no manuseio.

Seja no espelho ou banho
Na sua cama deitada
Do seio veja o tamanho
Quando se sentir tocada
Percebendo anomalia
Procure no mesmo dia
No posto ser consultada.

Esse toque pessoal
Previne o câncer de mama
Vai evitar que esse mal
Se transforme em  grande drama
E quem busca esse caminho
Está se dando carinho
E mostra o quanto se ama.

A nossa lição prossegue
Para a você  ensinar
Pedindo que não se negue
Aos atos de se cuidar
Pois quem de si tem cuidado
Termina por ser amado
Por quem deseja se amar.

Para o câncer prevenir                   
Evite a insolação
Não deixe o sol lhe agredir
Com toda a irradiação
A exposição prolongada
Deixa a pele preparada
Pra sofrer qualquer lesão.

Quando quiser bronzear
Bom mesmo que se acautele
Não deixe o sol lhe queimar
Esse maltrato cancele
Evite o sol escaldante
Das dez horas em diante
Pra não ter câncer de pele.

Se for trabalhar ao sol
Use uma roupa comprida
Não faça parte do rol
Que tem a pele ferida
E ao cuidar do terreno
Se proteja do veneno
De qualquer inseticida.

Para o câncer evitar
Tenha a alimentação
Rica em vitamina “A”
Pois essa dá proteção
Não esqueça o auto exame
Pois ele no seu reclame
Ajuda na prevenção.

Um mal que já vem matando
Usa o nome do prazer
A muitos vai conquistando
A outros já fez morrer
E dentro dessa questão
Fica a sua decisão
Para o cigarro acender.

Pro gosto de uma tragada
Não existe explicação
Mas pra doença causada
Se tem uma relação
Que lhe causa muito mal
De derrame cerebral
A ataque do coração.

Bronquite e a enfisema
São doenças do fumante
Que trazem ao seu problema
A marca da dor constante
E quem essa dor carrega
Confirma que em si agrega
A fumaça sufocante.

As pragas da nicotina                                              
E também do alcatrão
Desafiam a medicina
Que cuida do cidadão
Pois mostram num só escarro
O grande mal que o cigarro
Provoca em nosso pulmão.

Por isso quem é fumante
Já tem o câncer por perto
E se quiser vida avante
Tem que buscar ser liberto
Fugir do vício que mata
E buscar a quem resgata
Seguir um caminho certo.

Esse caminho tão bom
Que orienta e conduz
Tem o nome de Geon
Que na prevenção traduz
Uma maneira de amar
E a forma de indicar
Pra vida um raio de luz.

GEON é experiência
De quem tem no coração
Toda fé e paciência
Na busca de proteção
Procura sempre ajudar
E a todo mundo ensinar
A fazer a prevenção.

O grupo de educação
Que estuda Oncologia
Trabalha na prevenção
Do câncer no dia-a-dia
E com seu toque de amor
Faz a tristeza da dor
Não trazer melancolia.

Para lutar pela vida
Seja mais um do Geon
Ajude nessa acolhida
Pra vida ter novo tom
E verás felicidade
Na paz de uma liberdade
Que Deus nos dá como dom.

Faça valer sua vida
Dela colhendo prazer
Abrace na acolhida
Esqueça todo sofrer
Libere seu coração
Ensine a outro a lição
Que dita o nosso ABC.


Fortaleza, Setembro de 1997.

             LUCAROCAS
(85) 98897-4497 (oi – WhatsApp)
        99666-9396 (tim)

         www.lucarocas.com,br